Réveillon no ES: Governo diz que decisão sobre festas caberá a cada município

Secretaria Estadual de Saúde vai divulgar nota técnica, nesta quarta-feira (01), orientando as prefeituras sobre os critérios a serem observados para que seja tomada a decisão

Rodrigo Araújo

Redação Folha Vitória

Foto: Hélio Filho/Secom

O governo do Espírito Santo repassará aos municípios a responsabilidade para decidir se haverá ou não festividades de fim de ano, como a realização de shows e queima de fogos durante o Réveillon.

Uma nota técnica recomendatória será divulgada nesta quarta-feira (01), pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), orientando as prefeituras sobre os critérios a serem observados para que seja tomada a decisão.

“Essa nota técnica repassará a responsabilidade pela decisão do acontecimento dessas festividades aos municípios. Também terá critérios como sugestão para que as cidades possam tomar essa decisão. A cobertura vacinal, o número de casos, o número de internações e de óbitos poderão ser considerados para que essa decisão seja tomada”, destacou o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin.

‘Não recomendamos grandes aglomerações’, diz governador Casagrande

Durante o evento de lançamento da Temporada Verão 2022 do Espírito Santo, o governador Renato Casagrande não se manifestou de forma contundente sobre a realização de eventos nas orlas dos municípios capixabas durante o Réveillon.

Disse apenas que o governo estadual não recomenda grandes aglomerações nas cidades que ainda estejam fora do risco muito baixo para o coronavírus — a chamada “fase azul” — mas que ficará à critério das cidades decidir sobre as festividades.

“A recomendação é de que, enquanto nós não chegarmos ao risco muito baixo, que a gente não faça grandes aglomerações. Neste momento, nós não recomendamos grandes aglomerações. É lógico que fica a critério de cada município tomar essa decisão, mas nós faremos uma recomendação. Estamos estudando algumas sugestões para os municípios, para que a gente não tenha aglomerações exageradas e que isso possa ser fonte da disseminação da covid”, afirmou o governador.

“A hora em que a gente chegar ao risco muito baixo, a gente começa a tomar algumas decisões, que estabelecem e possibilitam uma liberdade maior”, completou.

Novo cenário com nova variante?

Casagrande acredita que, até no final do ano, o Espírito Santo terá microrregiões classificadas no risco muito baixo para a covid-19. No entanto, admite que a possibilidade da chegada da nova variante do coronavírus — a Ômicron — ao estado pode mudar o cenário futuramente.

“Estamos tratando como se a nova variante ainda não estivesse presente aqui — acredito que não esteja. Mantidas as ‘condições normais de temperatura e pressão’ de hoje, se chegarmos ao risco muito baixo, nós não temos mais limitação do número de pessoas, especialmente em ambientes abertos. Então estaria mais liberado para a realização de eventos maiores. Mas é preciso a gente avaliar semana a semana, como a gente tem feito, para saber se haverá um impacto da nova variante”, ressaltou.

Até o momento, o único município capixaba que atingiu todas as metas para ser classificado no risco muito baixo foi Laranja da Terra, que fica na microrregião Sudoeste Serrana.

No entanto, para que as regras da fase azul passem a valer na cidade é preciso que os municípios vizinhos também atinjam essas metas, uma vez que o risco muito baixo é atribuído apenas às microrregiões.

Prefeituras do ES cancelam eventos de fim de ano

Por ainda não estarem na fase azul, algumas cidades capixabas já decidiram cancelar a programação da virada de ano. Entre elas está Vitória e São Mateus.

A prefeitura da capital capixaba anunciou nesta terça-feira que optou por cancelar a queima de fogos e a festa no Réveillon de 2022 como forma de precaução.

O prefeito Lorenzo Pazolini afirmou que Vitória tem tido um bom desempenho na vacinação contra a covid-19, mas optou pelo cancelamento das festividades para não perder o resultado do esforço.

Já a Prefeitura de São Mateus informou que não haverá shows na orla de Guriri durante o Réveillon, por causa da pandemia e da possibilidade de uma quarta onda atingir o país. No entanto, a queima de fogos será mantida.

COMPARTILHAR

Warning: A non-numeric value encountered in /home3/reporterbarra/public_html/wp-content/themes/Newspaper/includes/wp_booster/td_block.php on line 1008