“Midiateca Capixaba” é apresentada ao público em solenidade virtual

Uma plataforma on-line que vai reunir um complexo e diverso acervo de documentos, fotografias, vídeos, matérias de jornal, músicas, artes gráficas, livros, obras de arte e filmes produzidos no Espírito Santo. Essa é a Midiateca Capixaba, apresentada ao público na manhã desta quarta-feira (05), durante transmissão ao vivo pelas redes sociais com a presença do governador Renato Casagrande. A plataforma on-line tem previsão de entrar no ar no mês de dezembro, em formato piloto.

“Temos que fazer uma boa gestão no Governo para que a gente tenha um atendimento adequado à sociedade, em todas as áreas. O investimento na Midiateca envolve muitos órgãos e instituições que têm acervo, até de fora do Estado, como a Universidade de Brasília. Tornar esse conteúdo acessível a todos é fundamental, para que a população possa ter acesso e se interessar pela riqueza cultural que temos no Espírito Santo”, pontuou o governador Casagrande.

De acordo com o secretário de Estado da Cultura, Fabricio Noronha, o projeto é muito importante e estratégico na gestão atual, pois reunirá em um só lugar um acervo complexo e diverso. “O principal objetivo da Midiateca Capixaba é promover a difusão de acervos culturais que existem no Estado. Por conta disso, o projeto foi estruturado a partir de uma necessidade de tornar acessíveis materiais que estão guardados em diversos acervos do Estado, públicos e privados, como fotos, objetos, obras de arte, vídeos, livros e arquivos que contam a história da produção cultural capixaba”, afirmou.

A expectativa é que, ainda em dezembro, os primeiros materiais já estejam disponíveis na plataforma piloto da Midiateca Capixaba, começando pelas coleções que estão sob a guarda da Secretaria da Cultura (Secult). Entre eles, os cartazes que compõem o vasto acervo do antigo Departamento Estadual de Cultura (DEC).

“Na primeira etapa de digitalização, encontramos materiais muito especiais de mostras, festivais e espetáculos que foram realizados no Estado, datados dos anos 60, 70 e 80, e que muitas pessoas ainda não conhecem ou somente ouviram falar. O projeto serve como start em uma política de acervo, difusão e valorização da produção cultural capixaba”, afirma a subsecretária de Estado de Políticas Culturais, Carol Ruas.

De acordo com a museóloga e coordenadora da Midiateca Capixaba, Paula Nunes, o projeto inclui a compra de equipamentos, contratação de serviços de catalogação e digitalização, bem como a contratação de bolsistas de diferentes áreas para desenvolvimento de pesquisas nas áreas da cultura, em busca de conectar os acervos existentes a partir de diferentes instituições. Também será possível a criação de um login, em que cada usuário terá sua conta dentro da plataforma, podendo marcar peças como favoritas e criar galerias.

“A Midiateca tornará possível a fruição e integração dos acervos da cultura capixaba, permitindo ao usuário identificar em uma única plataforma itens que contam a história da produção cultural local, circulando a informação existente nas instituições culturais”, completou Paula Nunes.

Na primeira etapa de construção da Midiateca Capixaba, foram definidos três eixos de atuação: o primeiro, contendo acervos dos espaços da Secult, como Biblioteca Pública do Espírito Santo (BPES), Galeria Homero Massena (GHM), Museu de Arte do Espírito Santo Dionísio Del Santo (MAES) e Museu do Colono. Também estão incluídos nesta primeira etapa os acervos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan-ES) e da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), que já se encontram catalogados e digitalizados para a disponibilização na plataforma.

O segundo, formado por acervos produzidos pela Secult e pelos editais, que englobam materiais como pesquisas contratadas ou realizadas pela Secult, os produtos de todos os editais do Fundo de Cultura do Estado do Espírito Santo (Funcultura) e um acervo de todos os bens tombados e registrados no Espírito Santo. E o terceiro, reunindo acervos da Rádio e Televisão Espírito Santo (RTV/ES), do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo (APEES) e do Palácio Anchieta.

O projeto Midiateca Capixaba é um convênio celebrado entre a Secult, a Universidade de Brasília (UnB) e a Fundação de Apoio à Pesquisa (Funape) e tem parceria com a Ufes, Instituto Oi Futuro, Itaú Cultural, Iphan e Wikimedia Brasil.

Também estiveram presentes no lançamento do projeto, o diretor presidente do Sistema RTV/ES, Igor Pontini; o gerente executivo de Cultura do Instituto Oi Futuro, Roberto Guimarães; a gestora de Comunicação do Wiki Movimento Brasil, Érica Camillo; o diretor do Itaú Cultural, Eduardo Saron; a superintendente Regional do Iphan/ES, Elisa Taveira; o secretário de Cultura da Ufes, Rogério Borges; o diretor executivo da Funape, Orlando Afonso; e a reitora da UnB, Márcia Abrahão.

Midiateca Capixaba

O projeto segue uma das ações previstas no Plano Estadual de Cultura, que indica a construção de um centro de documentação com um banco de dados e acervo da produção cultural no Espírito Santo, disponibilizando acesso a esses conteúdos em plataformas digitais. A plataforma reunirá, pela primeira vez, o máximo de informações sobre o patrimônio tombado e registrado, além dos trabalhos produzidos pelos Editais da Cultura em um mesmo local.

Como base tecnológica, a plataforma que irá abrigar os arquivos da Midiateca Capixaba será a Tainacan, um software livre de código aberto desenvolvido pela UnB. A plataforma é muito usada em museus e instituições culturais como, por exemplo, a Funarte, Itaú Cultural e Oi Futuro, justamente por ser customizável, com a possibilidade de adaptação nos diferentes formatos de acervo.

Todos os materiais citados terão comunicação com outras plataformas, como o ATOM, do Arquivo Público, o Sophia, da Biblioteca Pública, o Mapa Cultural ES, além das redes sociais. Outro item interessante é a criação de coleções digitais participativas, em que serão lançadas campanhas temáticas nas quais os usuários possam fazer upload de itens que sejam de sua propriedade e que tenham relação com o tema.

A Midiateca Capixaba contará também com uma comissão de acervos, composta por representantes dos espaços do Sistema RTV/ES, APEES, BPES, MAES, GHM e do Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Espírito Santo (Prodest), que terão a missão de estruturar o padrão semântico da plataforma, realizar a curadoria e a priorização de suas coleções que serão as primeiras a serem disponibilizadas ao público.

Imagens da galeria: Hélio Filho/Secom

COMPARTILHAR

Warning: A non-numeric value encountered in /home3/reporterbarra/public_html/wp-content/themes/Newspaper/includes/wp_booster/td_block.php on line 1008