AstraZeneca: pouco mais de 16 mil capixabas ainda não retornaram para segunda dose

A Secretaria da Saúde, por meio do Programa Estadual de Imunização, contabiliza desde o início da vacinação contra a Covid-19, utilizando doses da vacina Covishield (Fiocruz/Oxford) – conhecida como AstraZeneca, que 16.651 capixabas não retornaram para a complementação do esquema vacinal no prazo estipulado pelo laboratório de fabricação.

O levantamento foi feito baseado nos dados nominais da população vacinada no período desde o início da Campanha de Vacinação contra a Covid-19, no dia 18 de janeiro deste ano até o dia 13 de março, uma vez que nesta última data, completou-se doze semanas neste último domingo (06).

“É de total importância que a população que já tomou a primeira dose da vacina AstraZeneca e que esteja no prazo de doze semanas ou mais desde a aplicação, que retorne ao serviço de saúde de seu município para a garantia da segunda dose. A complementação do esquema vacinal é o responsável por garantir à imunidade e os benefícios que a vacina tem contra a Covid-19”, informou a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, Danielle Grillo.

Segundo a coordenadora, o Estado mantém o envio aos 78 municípios capixabas para a D2 da AstraZeneca na décima primeira semana após a data de distribuição da D1, garantindo assim às cidades e à população, as doses em tempo oportuno.

“O Estado trabalha com a estratégia de envio sempre que completa décima primeira semana após a distribuição da D1. Toda remessa que chega, fazemos a organização para a distribuição de primeiras doses e também o que cabe às D2 naquele momento, para que esse processo ocorra sempre de maneira mais oportuna à população”, explicou Danielle Grillo.

Lista nominal para busca ativa nos territórios e demais estratégias

Uma das estratégias definidas e trabalhadas pelo Programa Estadual de Imunização (PEI) é a elaboração de uma lista nominal semanalmente de pessoas que ainda não compareceram para receber a segunda dose.

A lista é encaminhada aos municípios sob a orientação de realizar a busca ativa destas pessoas por meio da atuação das equipes de Atenção Primária em Saúde do território.

“É uma estratégia que visa a orientação e a garantia de recebimento da segunda dose a essa população que por algum motivo ainda não retornou para receber. É uma forma também de podermos concluir à imunização do público prioritário capixaba”, disse Danielle Grillo.

Além disso, o Programa realiza reuniões permanentes e semanais com as referências municipais de Imunização para orientações sobre as estratégias a serem adotadas a cada etapa da Campanha, como a ampliação dos pontos de vacinação e de mais agendamentos e vagas para a população.

 

Doses da Coronavac e da Pfizer

O Ministério da Saúde divulgou, por meio do 21º Informe Técnico, o cronograma de entrega de doses contra a Covid-19 previstas para o mês de junho e julho. Segundo o Informe, há a previsão do Ministério receber doses da Coronavac (Sinovac/Butantan) ainda nesta sexta-feira (11).

No Espírito Santo, a estimativa é de que cerca de 51 mil capixabas aguardam a segunda dose.

Em relação às doses da Pfizer/BioNtech, o Estado segue as definições do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, assim como para os demais imunizantes. Segundo definição do PNO, as segundas doses da Pfizer serão administradas também no intervalo de doze semanas.

Neste caso, com a chegada da primeira remessa ainda no início de maio, o Estado seguirá a estratégia já adotada, fazendo a distribuição uma semana antes de completar o tempo definido.

COMPARTILHAR

Warning: A non-numeric value encountered in /home3/reporterbarra/public_html/wp-content/themes/Newspaper/includes/wp_booster/td_block.php on line 1008