Sete hospitais da Rede Estadual vão ser administrados pela iNOVA Capixaba

Para 2021, a Fundação Estadual de Inovação em Saúde – iNOVA Capixaba se prepara para absorver novas unidades hospitalares. A previsão é que mais sete hospitais da Rede Estadual passem a ser administrados pela Fundação ainda este ano, são eles: Infantil Nossa Senhora da Glória, em Vitória; Hospital Dr. Dório Silva, na Serra; Hospital Geral de Linhares; Hospital Roberto Arnizaut Silvares, em São Mateus; de Atenção Clínica, em Cariacica; Hospital e Maternidade Silvio Avidos, em Colatina; e Hospital Estadual de Vila Velha.

Os estudos para a transição da gestão desses hospitais já foram iniciados internamente, com o desenvolvendo do planejamento estratégico da iNOVA. A Secretaria da Saúde (Sesa) vai publicar portarias instituindo as Comissões de Transição, para cada hospital, com a participação dos atuais diretores hospitalares, membros da SSAS e da fundação.

Em reunião realizada na última quarta-feira (10) com a equipe da Subsecretaria da Assistência em Saúde (SSAS) e as diretorias dos hospitais estaduais previstos para serem migrados neste ano, foram solicitados relatórios sobre as condições de atendimento aos usuários, custeio dos serviços de saúde, manutenções infraestruturais.

De acordo com a subsecretária de Estado de Assistência em Saúde, Quelen Tanize, as informações são importantes para homogeneizar as condições de atendimento dos hospitais que serão migrados da gestão direta do Estado para a iNOVA Capixaba, como prestadora de serviço para a Secretaria da Saúde. “Os informes técnicos bem detalhados servirão para subsidiar debates com especialistas do Governo do Estado e elaboração de plano de ação”, disse a subsecretária.

Participaram também da reunião os membros da diretoria executiva da iNOVA Capixaba: Neio Lúcio Fraga Pereira, diretor-presidente; Diego Conte, diretor assistencial; Leonardo Tavares, diretor administrativo; e Jorge Teixeira Neto, diretor financeiro.

Na ocasião, além do anúncio da migração, foram apresentados o cenário da saúde pública no País e no Estado e o modelo de gestão proposto pela fundação, que tem como premissa o foco em resultados, sendo um modelo inovador de administração pública na prestação de serviços em saúde.

Para o diretor-presidente da Fundação iNOVA Capixaba, Neio Lúcio Fraga Pereira, este é um momento de grande evolução do Sistema Único de Saúde Capixaba. “A fundação estará preparada para absorver esses novos hospitais. O modelo de gestão que apresentamos para o Estado já mudou a realidade do Hospital Antônio Bezerra de Faria, único pronto-socorro público de Vila Velha, impactando nos indicadores assistenciais e administrativos. Nossa expertise no processo de transição foi testada quando assumimos o Hospital Estadual Central, em Vitória, em dezembro do ano passado. Fizemos um processo seletivo simplificado em tempo exíguo, trocando toda a direção e mudando mais de sessenta por cento dos trabalhadores desta, que é uma unidade de alta complexidade, sem ocasionar nenhuma interferência no atendimento aos pacientes”, afirmou.

iNOVA Capixaba

A iNOVA Capixaba tem como requisitos fundamentais do seu núcleo gerencial a expertise técnica, administrativa e operacional de seus profissionais. Todos os perfis destacados pela diretoria da fundação passaram por análises do Governo do Estado e Conselho Curador, órgão responsável pelas diretrizes e objetivos estratégicos da fundação.

Em 2020, autorizados pela Secretaria da Saúde, a iNOVA Capixaba passou a reorganizar todos os processos assistenciais e administrativos do Hospital Antônio Bezerra de Faria (HEABF), localizado em Vila Velha, que foi escolhido para ser a unidade própria da fundação e está em processo de transição de gestão.

O grupo de gestores da fundação, juntamente com os diretores desta unidade, entregaram excelentes resultados no HEABF, impactando no aumento do número de cirurgias e consultas realizadas, também reduzindo o tempo de permanência dos pacientes, bem como a ampliação do número de leitos, de mais uma sala do Centro Cirúrgico, melhorias infraestruturais e compra de novos equipamentos. Estes investimentos foram, em parte, recursos da Sesa, mas também da diminuição alcançada no custeio do hospital por medidas de melhoria na gestão.

Ainda em dezembro de 2020, a Fundação iNOVA Capixaba recebeu a tarefa de gerir o Hospital Estadual Central (HEC), em virtude da saída da OS que administrava a unidade. Por solicitação do Governo do Estado, que apostou no novo modelo de gestão, o HEC não estava na previsão inicial dos hospitais que migrariam para a gestão da iNOVA. O HEC, localizado em Vitória, é um hospital estadual de referência em Acidente Vascular Cerebral (AVC) reconhecido por sua excelência no Brasil.

COMPARTILHAR

Warning: A non-numeric value encountered in /home3/reporterbarra/public_html/wp-content/themes/Newspaper/includes/wp_booster/td_block.php on line 1008