Caixa Economica leva multas de Prefeituras e por aqui agencia da CEF não foi a primeira

Apesar do estardalhaço causado com o anúncio da ação da Prefeitura Municipal de Barra de São Francisco, multar a agencia da Caixa Economica Federal, no último dia 7,  por desobediência à legislação municipal,  e ainda ameaçar retirar a folha de pagamento dos servidores municipais, no não atendimento adequado, devido a filas de clientes e usuários, tal iniciativa não é pioneira no país.

Em abril do ano passado, a prefeitura do município de Taquari no Rio Grande do Sul multou  no valor de R$ 2 mil reais, a agencia da Caixa Econômica Federal pelo mesmo motivo. Em outubro do ano passado, foi a vez da prefeitura do município de Manaus no Amazonas multar também por descumprimento de medidas de proteção a beneficiários da CEF que ficaram em filas nas agências bancárias para receber o auxilio emergencial.

No caso francisquense, o prefeito Enivaldo dos Anjos baseou-se na defesa do cliente, já que pela legislação municipal, o problema verificado no atendimento à população, que limita em 30 minutos o tempo de espera para atendimento bancário, tenta evitar a formação de filas de clientes, principalmente provocadas em dias de pagamento de auxílio emergencial.

No dia (11) passado, centenas de pessoas se aglomeravam em uma fila extensa de acesso à agência local da Caixa. A prefeitura anunciou que vai fazer uma autuação por dia, se a instituição não providenciar um local adequado para atender aos seus clientes. Na primeira autuação, no dia 7, a multa foi de R$ 1.895,00, baseado em duas leis que limitam em 30 minutos o tempo de espera de clientes para serem atendidos em agências bancárias na cidade.


O fato tem sido recorrente na Caixa, principalmente a partir de abril de 2020, quando começarem os pagamentos do auxílio-emergencial do governo Federal por conta da pandemia do novo coronavirus.
Por nota, a prefeitura afirma: “A Prefeitura Municipal de Barra de São Francisco lavrou, no último dia 07.01.2021, multa contra a agência da Caixa na cidade, por desobediência a legislação municipal que limita em 30 minutos o tempo de espera para atendimento bancário. Para além desta ação, da qual cabe impugnação, a Prefeitura vai notificar a agência para que providencie local adequado de atendimento aos seus clientes, acabando com a fila externa no estabelecimento”.

Já a CEF, também através de nota, diz que vem realizando “ações sistêmicas para dar celeridade ao atendimento nas agências e oferecer um serviço de qualidade a todos. Entre as ações adotadas, na Ag Barra de São Francisco (ES), é possível citar a triagem das filas antes mesmo da abertura da unidade e a recepção qualificada dos clientes durante todo o horário de funcionamento. Somado a isso mantém sinalização/delimitação do piso externo da agência, além de recepcionistas que auxiliam na organização das filas, de forma a garantir o devido afastamento entre as pessoas”.

COMPARTILHAR

Warning: A non-numeric value encountered in /home3/reporterbarra/public_html/wp-content/themes/Newspaper/includes/wp_booster/td_block.php on line 1008