Site ligado a secretário afastado Paulinho da Ótica tenta inverter situações

Carlos Madureira*

O site ligado ao ex-secretário Paulinho da Ótica, comandado por seu empregado Weber Andrade, especiamente direcionado para criticar atos do Poder Legislativo e defender a atual administração, resolveu agora se fazer de vítima, tentando inverter papéis, destacando que o site Reporter Barra é ligado ao assessor de Imprensa da Câmara Municipal, jornalista Carlos Madureira.

Neste sentido, a resposta foi imediata a tentativa de tirar o foco da mentira deslavada publicada pelo site (ocontestado.com) onde atribui que teria ocorrido um reconhecimento de gastos de combustível em torno de pouco mais de 1.400 litros e não 115.500 conforme o site de Paulinho da Ótica teria divulgado. Segundo o presidente da Câmara Municipal, vereador Juvenal Calixto, providencias estão sendo tomadas na área da Justiça para que abusos e impropérios como estes deixem de acontecer.

Por que o ódio contra Juvenal Calixto

Não há como descrever como o ódio lançado pelo site ligado a Paulinho da Ótica, tem como finalidade única atingir Juvenal Calixto. No final do ano de 2018, não havia ainda sido deflagrada esta prática adotada pelo site em questão, assim que Juvenal Calixto venceu as eleições internas na Câmara, para comandar os destinos do Legislativo pelo período de dois anos.

O site foi imediatamente convocado e criado com a finalidade de perseguir, denegrir e incomodar o Legislativo, em especial a figura do presidente. Assim, matérias tendenciosas começaram a surgir, textos sem nexo, matérias provocativas e estimuladas pelo seu dono, que defendia a administração Alencar Marim.

Como o grupo de oposição a Juvenal Calixto, não o queria presidindo o Legislativo, estava tudo acertado, para que um vereador ligado a administração, vencesse o pleito com tranquilidade. Outro passo do grupo tendencioso, era criar o site para sustentar Alencar Marim e seus comandados. Não menos importante, era fazer com que o funcionário Weber Andrade, fosse nomeado assessor de imprensa da Câmara Municipal.

Com a vitória de Juvenal Calixto, os planos de Paulinho da Ótica continuar em sua secretaria, ter seu funcionário nomeado assessor e ter um vereador presidente ligado a administração, acabaram indo por terra. O desespero foi tanto que quase que diariamente, matérias envolvendo o assessor de imprensa e o presidente logo se tornam manchetes, compartilhadas pelo grupo de situação.

Inconformados, até denúncias foram parar no Ministério Público, com acusação de nepotismo e uso de veículos. O presidente Juvenal Calixto, sempre ponderado, esperou o momento certo para poder desabafar e buscar uma ação contra essa perseguição tenebrosa que busca jogar a população contra a Câmara Municipal, principalmente agora em que Juvenal se lançou candidato a substituir Alencar Marim na Prefeitura.

O grupo é tão perigoso em articular mentiras, tramóias, criar tensões, estimular o ódio, que se preparava para manter um jornal impresso que até chegou a circular inicialmente, mas depois que foi descoberto o plano de ser custeado pela Prefeitura Municipal de Barra de São Francisco e ter sido impedido de concorrer a uma licitação, que tinha Paulinho da Óitica como secretário e condutor do processo licitatório.

O plano foi tão rudimentar, rídiculo e nefasto, que na edição nominada 003, de 10 de dezembro de 2018, trazia uma matéria com chamada de capa, tendo destaque para a morte do ex-vereador Vitão. Como a morte de Vitão só teria ocorrido em inicio do mes de janeiro de 2019, como o jornal de Weber Andrade e Paulinho da Ótica, teria antecipado o seu falecimento em edição de quase 25 dias antes de seu falecimento.

O fato é que o jornal chegou a ir para a licitação e depois o plano esquecido devido a falha catastrófico de seu responsável editor, que montou o jornal as pressas no inicio de 2019, com a data de final de dezembro de 2018. Tudo, visando ganhar o direito de publicar atos oficiais da Prefeitura Municipal de Barra de São Francisco, que ganharia nas páginas do informativo, matérias elevando a administração de Alencar Marim.

Veja abaixo a data da circulação do jornal e a matéria destacando a morte de Vitão que só viria a ocorrer em janeiro do ano seguinte.

 

 

COMPARTILHAR