Advogado equivocado e imprensa marron fazem falsa denúncia contra gastos de combustível na Câmara Municipal

De acordo com uma publicação em rede social o advogado Raony Scheffer,que preside a subseção da OAB em Barra de São Francisco, o Poder Legislativo teria consumido 115,5 mil litros de combustível entre julho e agosto deste ano.  A informação logo virou notícia na imprensa tendenciosa, ligada ao advogado e a administração municipal, gerando indignação na população que não sabe da verdade por trás da falsa informação. O título da matéria enganosa: “Câmara Municipal consumiu 115,5 mil litros de combustível entre julho e agosto deste ano, logo foi estampado também em publicação de Raony, mas no site o título foi modificado bem como a matéria original publicada. Só que já era tarde e o estrago havia sido feito.

O presidente da Câmara Municipal e concorrente nas eleições municipais, Juvenal Calixto Filho, procurado pela reportagem ficou completamente indignado e desmentiu com documentos a falsa acusação movida pelos articuladores do caos. Inclusive usaram uma foto nossa com correligionários de campanha, quando nitidamente tentaram macular nossa postulação nas eleições para prefeito. “Esse pessoal não tem nível e jogam sujo”, desabafou.

Mentiras e acusações levianas

“Estão atacando o Legislativo com mentiras, acusações levianas, noticiário tendencioso como forma de nos prejudicar em todos os sentidos, visto que estamos em campanha para suceder a administração que eles defendem”, justificou Juvenal.

Para o Presidente da Câmara, a forma irresponsável com que o presidente da subseção da OAB publicou a nota, afirmando que o Legislativo tem dado péssimo exemplo de gestão de gastos em plena pandemia, questionando o destino de tanto dinheiro com combustível, táxi e diárias, tentando jogar a população contra os vereadores, foi uma atitude leviana, tendenciosa e perigosa.

Boataria Oportunista

“Quanto ele mente deslavadamente que gastamos entre um mês e outro, mais de 115 mil litros de combustível,  essa afirmação chega aos ouvidos da população por meio da boataria oportunista, espalhada por uma imprensa marrom que sobrevive marionetada pelos perigosos oportunistas políticos, acovardados atrás de instituições que devem ser comandadas por pessoas sérias”, criticou Juvenal Calixto.

Gasto verdadeiro + 1.487,30 litros

Gasto falsamente atribuído = 115,5 mil litros

Imediatamente a esse boato grosseiro e irresponsável, Juvenal Calixto convocou a assessoria jurídica e contábil para avaliar a situação. De pronto a contabilidade levantou que no período indicado na reportagem ridícula e tendenciosa, amparada pelo texto mentiroso, criminoso e antidemocrático do advogado Raony Scheffer, a Câmara Municipal gastou:

Mês de Julho, veículo PPU 6386 cerca de 332,72 litros de combustível sendo que o outro veículo PPU 6387 consumiu no mesmo período 290,80 litros. Os dois automóveis do Legislativo, no mês de Agosto consumiram 963,78 litros.

Como é grotesca a acusação infundada de que foram consumidos mais de 115 mil litros de combustível, basta somar o consumo acima descrito que se chega a exatos 1.487,30 litros para atender 13 vereadores, mais os setores administrativos da Câmara Municipal. Portanto cerca de 114.012,70 litros foram atribuídos levianamente como consumidos pelo Legislativo, fato que não ocorreu.

Terão que ter hombridade

“Agora os irresponsáveis autores desta famigerada publicação, deverão ter a hombridade e se desculparem com os vereadores e a população, devido a mentira que propagaram. Os senhores autores da publicação enganosa, terão de desmentir já que erraram grotescamente 113.912.7 a menos que não foi consumido, não foi abastecido e não foi pago, mas mesmo assim foi denunciado como teria ocorrido”, desabafou Juvenal.

Para o Presidente do Legislativo é muito fácil denunciar uma situação e depois dizer “que não foi bem assim”.

“Depois que o boato ganha repercussão nas ruas, é difícil se restabelecer a verdade”, critica Juvenal Calixto que ainda acrescentou que “a nossa sociedade merece respeito, não tolera molecagem, bandidagem, falsa moralidade e pessoas que tentam curar suas fobias e suas frustrações, lançando falsidade contra quem trabalha, não vive pendurado em situações inescrupulosas com a finalidade de se darem bem fazendo o mal”, pontuou.

Segundo informações do gabinete da presidência do Legislativo, providências estão sendo tomadas e caberá a Justiça ser interpelada neste caso assombroso que vitimou todos os membros do Poder Legislativo, os quais foram covardemente atacados.

COMPARTILHAR