Governo do Estado dá início à revisão do Planejamento Estratégico 2020-2022

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Economia e Planejamento, deu início, nesta segunda-feira (31), à revisão do Planejamento Estratégico do Governo do Espírito Santo. A primeira reunião, sob a liderança do governador Renato Casagrande, contou com participações da vice-governadora do Estado, Jaqueline Moraes, de secretários e subsecretários de Estado e dirigentes de órgãos ligados às nove áreas estratégicas que integram as carteiras prioritárias da gestão.

O governador comentou a necessidade de mudança no planejamento do Estado por causa da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). “Ninguém esperava passar por esta pandemia. Não podemos, de toda forma, deixar de lado as outras áreas. É preciso reprogramar os investimentos, mas fazê-los. Foi fundamental termos criado o Fundo de Infraestrutura no início da nossa gestão, pois hoje podemos investir em melhorias em diversas áreas. O Planejamento Estratégico é fundamental justamente para priorizarmos o que é mais importante neste momento aos capixabas”, afirmou.

Durante sete dias, a alta gestão do Governo participará, de forma virtual, de encontros técnicos para ajustes da estratégia e da carteira de projetos prioritários, com a devida adequação ao cenário econômico, em âmbitos estadual e nacional.

Sob a coordenação do secretário de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, com a equipe da Subsecretaria de Planejamento e Projetos, liderada pela subsecretária Joseane Zoghbi, gestores realizarão um balanço dos resultados obtidos desde o início do Governo, revisando e validando as entregas prioritárias com o alinhamento das áreas estratégicas.

A partir desta segunda-feira (31) até o dia 24 de setembro, as atividades a serem desenvolvidas com os gestores ao longo do Planejamento Estratégico 2020-2022 envolverão revisão da visão, missão e valores; análise do ambiente (com identificação de forças, fraquezas, oportunidades e ameaças da gestão); análise dos desafios estratégicos; revisão e validação de indicadores estratégicos e metas; validação da seleção dos projetos estratégicos e apresentação dos resultados.

A subsecretária Joseane Zoghbi lembra que a revisão do Planejamento Estratégico havia sido prevista inicialmente para março deste ano, mas foi interrompida devido à pandemia do novo Coronavírus. “A pandemia impactou não só a saúde, mas a economia do Estado”, disse, argumentando sobre a necessidade de se rever a estratégia de Governo diante de mudanças nos desafios e do surgimento de novas demandas e novas metas.

“É o momento de revermos estratégia, desafios e oportunidades para que o Governo do Espírito Santo continue sendo uma referência para o País”, reforçou Álvaro Duboc.

A vice-governadora Jaqueline Moraes ressalta que os governos estaduais enfrentam enormes desafios em 2020. Segundo ela, a busca por maior eficiência da gestão e maior qualidade do gasto público não é recente, mas se tornou absolutamente urgente neste momento de crise. “É neste contexto que se apresenta a revisão do Planejamento Estratégico do Governo do Espírito Santo visando fortalecer e rever estratégia, desafios e oportunidades, para que o Governo do Estado continue sendo nota A e referência para o Brasil”, complementou.

Entregas relevantes

Duboc explicou ainda que o Governo trabalha com um modelo de gestão que busca gerar entregas relevantes para os capixabas, trabalhando com eficiência. Esse modelo possui três carteiras, com coordenação direta do próprio governador.

Ao todo, nas nove áreas estratégicas da gestão estão alinhados 241 projetos e 17 programas. As áreas são as seguintes: Agricultura e Meio Ambiente, Cultura, Turismo, Esporte e Lazer, Desenvolvimento Econômico, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Educação para o Futuro, Infraestrutura para Crescer, Saúde Integral, Segurança em Defesa da Vida e Gestão Pública Inovadora.

O secretário pontuou que com responsabilidade fiscal e foco na justiça social, forte liderança do governador Renato Casagrande e uma equipe coesa, em 2019 o crescimento dos investimentos foi de 15%, no comparativo com 2018. E que mesmo em meio à crise gerada pela pandemia da Covid-19, o Governo segue fazendo investimentos, garantindo mais entregas à população capixaba.

COMPARTILHAR