Reunião vai decidir se moradores de Vargem Alegre continuarão consumindo água poluída

Uma reunião entre Prefeitura e moradores de Vargem Alegre, marcada para logo mais às 13h30 no auditório do antigo colégio Santa Terezinha, vai decidir se os moradores do distrito, continuarão a consumir água não totalmente potável. É que de acordo com os representantes da Associação de Moradores de Vargem Alegre, alunos da Faculdade Multivix e lideranças, cansados de promessas e de não terem eco nas suas solicitações, resolveram denunciar o descaso naquele local.

Segundo consta na denúncia, a entidade atribui a problemática vivenciada pelos moradores, os quais confeccionaram um abaixo assinado reivindicando estes direitos violados e para que os mesmos sejam efetivamente garantidos conforme a lei.

No documento, fica claro que o distrito possui redes principais de coleta de esgoto, entretanto, as mesmas encontram-se em situação precária e os dejetos são dispensados diretamente no rio, poluindo a pouca água que ali existe, ocasionando mau chediro insuportável.

Ainda sobre o esgoto, o mesmo segundo a denúncia, é depositado em um valão feito pela Prefeitura Municipal, empossando o que foi desaguado contribuindo para a proliferação de mosquitos e outros insetos, expondo a comunidade a vários tipos de doenças.

O mais grave é que o levantamento aponta para uma E.T.E – Estação de Tratamento de Esgoto, construída há muitos anos, porém a mesma nunca funcionou efetivamente para tratar os esgotos coletados no distrito. O local se encontra em estado precário, sem manutenção e sem operação. Lamentavelmente, a E.T.E. em questão foi construída em local inadequado dentro de uma área de proteção permanente (APP), do rio, desrepeitando a legislação ambiental.

A Câmara Municipal, pelo menos com os vereadores Juvenal Calixto, Huander Bofe, Wilson Mulinha e Admilson Brum, se posicionaram favoráveis a um entendimento entre comunidade e prefeitura para que  o local passe a ter atenção necessária para restabelecer a segurança no consumo da água potável naquele distrito. Os quatro vereadores, foram autores de emendas quando na apreciação do projeto do Executivo Municipal que defendeu conceder mais 20 anos para que a Cesan explore os serviços de distribuição de água e captação de esgotos.

Os vereadores citados, queriam que os distritos fossem assistidos pela empresa, mas as emendas sofreram veto do prefeito Alencar Marim (PT), tendo sua base votado favorável a não ter as emendas implementadas no contrato de concessão entre Cesab e o Município.

COMPARTILHAR