Início Brasil Destaque Final da Libertadores vai acontecer em Lima, no Peru

Final da Libertadores vai acontecer em Lima, no Peru

Após reunião realizada na sede da Conmebol, entidade optou por tirar a decisão de Santiago em função do momento conturbado vivido pelo Chile

Bem vindo ao Player Audima. Clique TAB para navegar entre os botões, ou aperte CONTROL PONTO para dar PLAY. CONTROL PONTO E VÍRGULA ou BARRA para avançar. CONTROL VÍRGULA para retroceder. ALT PONTO E VÍRGULA ou BARRA para acelerar a velocidade de leitura. ALT VÍRGULA para desacelerar a velocidade de leitura.

 

Copa Libertadores

Reprodução / Conmebol

Copa Libertadores

A final da Libertadores 2019 não será mais em território chileno. Por causa da violência dos protestos contra o governo, a Conmebol decidiu tirar a decisão de Santiago e escolheu Lima , no Peru, como sede substituta.

A mudança de local não implica em alteração de data da final única: ela continua em 23 de novembro. O desafio agora passa a ser logístico e envolve revalidação dos ingressos já adquiridos para Santiago e alocação deles no estádio Monumental, na capital peruana.

Assunção chegou a ficar no páreo, mas apenas receberá no próximo sábado a final da Sul-Americana, entre Independiente Del Valle (EQU) e Colón (ARG).

A Federação de Futebol do Peru ofereceu o Estadio Monumental de Universitario, do time do Universitário, para sediar a final da Libertadores . O palco de Lima tem capacidade para 80 mil torcedores. E é considerado moderno para a decisão.

O Flamengo não queria que a final da Libertadores mudasse de 23 para 30 de novembro. Ter que enfrentar o Palmeiras antes do River – o jogo do dia 1/12 teria que ser remarcado – era visto como prejudicial pela diretoria do clube.

O River Plate também não queria a final remarcada para o dia 30, pelo mesmo motivo do Flamengo: tem jogos importantes do calendário nacional. O presidente Rodolfo D’Onofrio e o técnico Gallardo se mostraram desde o início abertos a um novo local na América do Sul.

A Conmebol resistiu ao máximo antes de tirar Santiago da rota da Libertadores. Na semana passada, autoridades chegaram a reiterar o compromisso de organizar a decisão. Mas as cenas dos protestos nos últimos dias mexeram com os dirigentes.

Na noite de segunda-feira, após a convocação às pressas da reunião na Conmebol, fotos e vídeos de policiais feridos durante as manifestações circularam nos aplicativos de mensagens da alta cúpula.

Inicialmente, a Conmebol via poucas condições de que a cidade fosse substituta de Santiago por não ser tão estruturada para receber as massas de torcedores brasileiros e argentinos ao mesmo tempo. Mas se viu sem alternativas dentro do continente – a entidade não quis nem cogitar fazer mais uma final fora da América do Sul.

Outro fator determinante foi o comportamento dos atletas de futebol do Chile. Também nesta terça-feira, o sindicato dos jogadores profissionais se reuniu e confirmou a intenção de se manifestar contra o retorno das rodadas do campeonato local pela Federação de Futebol. Por consequência, também foram ao encontro dos anseios da maioria da população e se mostraram contrários à final da Libertadores em Santiago.

 

COMPARTILHAR