Flamengo tenta acabar com fama de ‘tremer’ em confrontos diretos no Brasileiro

Rubro-negro tem retrospecto negativo recente contra times que lutam no G-6

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Gabigol

Gabigol – Gilvan de Souza

Rio –  Nos últimos anos, o Flamengo sofreu diversas críticas por não vencer confrontos diretos, os chamados “jogos grandes”, que invariavelmente decidem campeonatos. Neste sábado, líder do campeonato e atuando diante de seu perseguidor mais próximo, o Santos, numa espécie de final simbólica do primeiro turno, o time carioca terá a chance de superar de vez este fantasma.

Para se ter uma ideia, nos anos de 2016, 2017, 2018 e 2019 nos quais a equipe da Gávea entrou na disputa como uma das favoritas ao título, o desempenho do Flamengo frente aos adversários que estavam na zona de classificação para a Copa Libertadores, o chamado G6, foi sofrível.

Com um aproveitamento de apenas 43,1% contra essas equipes, traduzido em dez vitórias, 14 empates e dez derrotas, a equipe do Rio ainda luta para consolidar um bom desempenho que a faça transformar o favoritismo, derivado de sua ótima condição financeira nos últimos anos, em título no campeonato.

Em 2019, dentre os clubes que estão posicionados no G6, o único vencido pelos cariocas foi o Palmeiras (3 a 0), que ocupa hoje o terceiro lugar. Contra o quarto colocado Corinthians (1 a 1), São Paulo (1 a 1), que ocupa o quinto posto, e Internacional (1 a 2), o atual sexto, os resultados mantiveram a tendência dos últimos anos.

E neste sábado, com 39 pontos na competição, vindo de cinco vitórias seguidas e tendo pela frente o vice-líder Santos, o ambiente para retomar a fama de “time de chegada” é dos mais propícios, especialmente em um Maracanã que receberá mais de 60 mil torcedores outra vez.

“A gente sabe que faz diferença ganhar confrontos diretos. Estamos focados em fazer uma grande partida e estamos atentos ao Santos para não cometer erros durante o jogo”, garantiu o capitão Everton Ribeiro, que chegou ao clube em 2017.

Embora tenha passado por diversas decepções desde então, o meia prefere, no entanto, retirar a carga decisiva do compromisso deste sábado e pensar de forma mais estratégica na condução da liderança na tabela.

“Para nós é mais um jogo importante, como foi o do Avaí, o do Palmeiras… É reta final de turno, mas a gente sabe que tem muito campeonato pela frente. Temos que manter o que temos feito jogo a jogo. A oportunidade é sempre o próximo jogo”, completou

Na tarefa para garantir a ponta e até buscar ampliá-la contra o adversário mais direto no momento, o técnico Jorge Jesus terá à disposição todo o elenco. As únicas exceções são o meia Diego e o atacante Lincoln, que, se recuperando de graves lesões, já desfalcam o time há muito tempo.

Assim, o treinador português contará com as voltas dos titulares Rodrigo Caio, que cumpriu suspensão e estava lesionado, Bruno Henrique e Arrascaeta, ambos retornando de amistosos por suas seleções. Pelo mesmo motivo destes, o colombiano Berrío ficou de fora da vitória por 3 a 0 sobre o Avaí, em Brasília, na última rodada, e estará novamente como opção no banco de reservas.

COMPARTILHAR