Vai ter clássico! Argentina bate a Venezuela e encara o Brasil na semi da Copa América

Com gols de Lautaro Martínez e Lo Celso, a Argentina venceu a Venezuela no Maracanã, e vai decidir uma vaga na final da Copa América contra o Brasil

Por Lance

Lautaro Martínez da Argentina comemora seu gol contra a seleção do Venezuela

Lautaro Martínez da Argentina comemora seu gol contra a seleção do Venezuela – Luciano Belford/Agência O Dia
Rio – A Argentina será a adversária da Seleção Brasileira nas semifinal da Copa América. Com a vitória por 2 a 0 sobre a Venezuela, nesta sexta-feita, no Maracanã, com gols de Lautaro Martínez e Lo Celso, a seleção argentina passou das quartas de final. Mostrando segurança e bom controle do jogo, esta talvez tenha sido a melhor partida da Argentina na competição.

Brasil e Argentina se enfrentam na próxima terça-feira, às 21h30, no Mineirão, valendo uma vaga na final da Copa América.

Pressão argentina e gol

Diferente dos últimos jogos, a Argentina começou a partida no Maracanã pressionando o adversário. E, principalmente, jogando bem. Logo aos dois minutos de partida, Agüero recebeu de Lautaro pelo lado direito e finalizou para o gol. O bom goleiro Fariñez defendeu com a perna e colocou para escanteio.

Mantendo o bom ritmo, a Argentina conseguiu outro escanteio aos 9 minutos. Messi cobrou, a bola sobrou para Agüero pelo lado direito. O atacante finalizou e cruzado e Lautaro Martínez deu um belo toque de letra, surpreendendo o goleiro adversário e marcando o seu segundo gol nesta Copa América. Neste momento da partida, a Argentina tinha quase 80% de posse de bola.

Pouco futebol e Messi apagado

Após a pressão inicial da Argentina nos primeiros 10 minutos de jogo, a Venezuela conseguiu segurar um pouco mais a bola e sair do seu campo de defesa. Porém, não levou perigo ao gol de Armani.

Enquanto isso, a Argentina pouco conseguia produzir efetivamente no ataque. Apesar de manter mais posse de bola, não teve mais nenhuma chance muito clara de gol. O craque Messi até tentava conduzir o jogo, mas pouco fez com a bola no pé. Chegou a perdeu algumas jogadas ao adiantar demais a bola. O restante do primeiro tempo teve pouco futebol e muitas faltas: foram 19 faltas e quatro cartões amarelos, dois para cada seleção.

Venezuela arrisca

A Argentina começou o segundo tempo tentando voltar pressionar a Venezuela. E Lautaro quase marcou de novo, logo aos 2 minutos. Paredes deu um belo passe em profundidade e o atacante bateu de primeira da entrada da área. A bola tirou tinta da trave. Mas esta foi a única boa tentativa dos “hermanos” neste período. Depois disso, a Venezuela tentou manter mais a posse de bola e conseguiu cercar a Argentina próximo da área.

Com a entrada de Soteldo, os venezuelanos melhoraram em campo, mas não conseguiam finalizar. A única boa chance aconteceu quando Hernández apareceu nas costas da zaga e finalizou na linha da pequena área, para um ótima defesa de Armani.

Lo Celso decide

Quando a Venezuela estava melhor em campo, a Argentina conseguiu o seu segundo gol e definiu o placar final da partida. Após boa jogada pela direita, aos 28 minutos, Agüero recebeu na entrada da área e finalizou rasteiro. Fariñez não conseguiu segurar e soltou a bola nos pés de Lo Celso, que só teve o trabalho de empurrar para o gol. Foi o gol do alívio argentino.

FICHA TÉCNICA
VENEZUELA 0 X 2 ARGENTINA

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)Data-hora: 28/06/2019, às 16h (de Brasília)
Árbitro: Wilmar Rondal (COL) – Nota LANCE!: 6,0: Não interferiu no andamento da partida.
Assistentes: Wilmar Navarro e Jhon León (COL)
VAR: Andres Rojas (COL)
Gramado: Bom
Público/Renda: 42.495 pagantes/R$ 9.198.480,00
Cartão amarelo: Rincón, Herrera, Rondón e Soteldo (VEN), Lautaro Martínez e Acuña (ARG).
Cartão vermelho: –

Gols: Lautaro Martínez, 9’/1ºT (0-1); Lo Celso, 28’/2ºT (0-2)

VENEZUELA: Fariñez, Hernández, Chancellor, Mago (Soteldo, 10’/2ºT) e Rosales (Seijas, 40’/2ºT); Moreno, Herrera, Rincón, Murillo e Machís (Martínez, 26’/2ºT); Rondón. Técnico: Rafael Dudamel.

ARGENTINA: Armani, Foyth, Pezzella, Otamendi e Tagliafico; Paredes, De Paul, Acuña (Lo Celso, 22’/2ºT) e Messi; Agüero (Dybala, 39’/2ºT) e Lautaro Martínez (Di María, 18’/2ºT). Técnico: Lionel Scaloni

COMPARTILHAR