Barra de São Francisco realizará dia (13) mutirão que era pra ter acontecido há meses

Criaram até um slogan, “Viva sem Dengue!”, capitaneados pela Prefeitura de Barra de São Francisco, com supostas parcerias firmadas entre a Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS) e a Escola Estadual Viva, nesta quinta-feira (13), a partir das 14h, haverá o chamado mutirão contra dengue, iniciativa que não foi tomada pela atual administração há meses. Com agentes de combate a endemias e alunos daquela escola pretende-se corrigir os erros passados em uma ação de combate ao mosquito da dengue nos bairros Campo Novo, Morada Feliz e Colares de Melo.

A iniciativa embora tardia, não será de todo perdida e com lampejos de ter acordada, a administração municipal incita seus comandados, todos, a estarem no mutirão, que quando aconteceu no bairro Irmãos Fernandes, nem o secretário da pasta interessada esteve presente. A concentração está marcada para as 13h20, no pátio da unidade educacional, situada à Alameda João XXIII, nº 144, no bairro Campo Novo.

Caso o cidadão queira partipar dessa ação, deverá comparecer na unidade escolar no dia e horário marcado e assim dar seu exemplo de cidadania, coisa que não vinha sendo praticada nem pelos mais ardorosos capachos e pelegos políticos.

Segundo publicações ligadas ao prefeito Alencar Marim, ele pede aos moradores das áreas a serem contempladas que não neguem atendimento aos envolvidos na ação de combate ao mosquito aedes aegypti. E claro nem isso deverá acontecer, já que por falta deste tipo de ação, centenas de pessoas contrairam a doença e uma veio a óbito em decorrência da progressão para o tipo dengue hemorrágica.

Infelizmente não haverá ao que parece o “catra-treco”, uma espécie de força tarefa braçal, com homens e caminhões para retirar dos quintais todo tipo de objeto que pode levar a proliferação do mosquito. Idealizada em municípios que sofreram com a dengue, os cata-trecos, resolveram problemas graves abaixando índices e educando “acumuladores”.

Faz bastante tempo que a gente discute as questões social, ambiental, política e cultural. Mas a pauta da economia não aparece. A gente esquece que não tem como resolver os problemas se não houver economia forte. Estamos deixando escorrer pelos dedos a coisa mais importante, que é a atividade econômica. E perguntam-se o que tem a ver uma coisa com a outra?

Muito simples, se notarmos que a dengue não avança onde tem mais educação, mais conscientização, mais vontade política. Pode até parecer igual mas não é. Saltamos em tres semanas de discretos casos verificados da doença, para o município figurar entre os que apresentam quadros mais alarmantes.

Na esteira das vaidades, de um lado pessoas incapacitadas para exercer funções, aliadas a politicalha de quanto pior melhor, a cidade vai a cabresto de políticos que viraram as costas ao município para despejar migalhas nos períodos eleitorais. Basta ver que na região noroeste “pipoca” obras e serviços por todos os lados, menos Barra de São Francisco, onde o caos tem de imperar para surgir a famosa “salvação”.

Texto *Carlos Madureira/ilustração amigosdofreud.blogspot.com

COMPARTILHAR