Depois de denúncias de pais de alunos, Secretaria de Educação começa a distribuir materiais, menos o didático

O vereador Wilson Pinto das Mercês – Mulinha (PDT), recebeu recentemente, uma denúncia de que a Rede Municipal de Ensino, se encontra sem destinar até o presente momento, material didático direcionado para o Ensino Fundamental. Não faz muito tempo, o também vereador Huander Bofe, recebia denúncias de pais de alunos, os quais questionavam a falta de equipamentos de refrigeração (ar condicionado) e até ventiladores, em escolas da mesma Rede Municipal de Ensino do município.

Também esta semana a secretária municipal de Educação, Delma Ker e o subsecretário Rodrigo Duque entregaram, na última terça-feira, 21, alguns materiais nas escolas João Bastos, José Francisco da Fonseca, Luciene de Matos Ferreira, Neuza Fernandes, Sebastião Albano e Otto Saar, conforme divulgado por sites ligados a Prefeitura Municipal.

Entre os materiais entregues, que são oriundos de recursos do Fundeb e royalties de petróleo, estão: bebedouros, quadros, portas, mesas e cadeiras para refeitórios, além de geladeiras e ventiladores. Segundo a secretária Delma, as entregas estão seguindo um cronograma e ainda essa semana outras instituições vão receber alguns materiais demandados.

Segundo justificativa do setor, as “ações como as entregas feitas, reforçam a busca pela qualidade da educação pública, oferecendo ambientes mais agradáveis e melhores condições dos profissionais de educação e dos alunos”, observa a secretária.

Mas quanto ao material didático, a Secretaria de Educação não se pronunciou e de acordo com Mulinha, que recebeu denúncias de pais de alunos matriculados na Escola Municipal João Bastos, onde afirmam não haver livros de português,  matemática e ciências, estas “entregas”, não justificam a ausência do material didático, ainda não entregue.

Na denúncia, os pais alegam que para fazerem suas tarefas, os alunos têm que se deslocar para a biblioteca da escola e fazer as tarefas que dá tempo, ficando as demais sem serem completadas e até iniciadas.

Segundo a denúncia ao vereador Wilson Mulinha, os alunos estão sendo prejudicados por não terem os livros para fazerem as tarefas em casa. “Depois quando chega ao final do ano, meus filhos ficam levam “bomba”, ou seja, ficam reprovados e de quem é a culpa?”, questiona uma mãe de aluno que esteve esta semana visitando a escola onde o filho estuda.

O vereador Wilson Mulinha se comprometeu com os pais de estar enviando requerimento ao Chefe do Executivo Municipal cobrando informações da denuncia e pedindo solução do problema, já que as aulas já se encontram no final do primeiro semestre.

Fotos sites: Voz da Barra, O Contestado, Vereador Mulinha

 

 

COMPARTILHAR