Consumo excessivo de álcool pode ter causado a morte de morador de rua nesta quinta

Segundo pessoas que conviviam com o mecânico Dinho, ele teria começado a passar mal por volta de 3h, devido ao excesso de álcool. Corpo do mecânico Dinho ainda se encontra na praça aguardando a chegada da perícia

O homem de 33 anos que foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira, 11, na praça Senador Atílio Vivácqua, começou a passar mal por volta das 3h da madrugada, segundo moradores de rua que vivem nas proximidades. Alessandro, o Dinho, era mecânico de formação, mas, segundo conhecidos, ele e seu irmão, identificado como Carlinhos, moravam na praça há algum tempo. Carlinhos está preso.

A ex-vereador Graça Casatti, que esteve no local há poucos minutos, disse que conhecia o rapaz e também a família dele. Lamentou que tenha morrido de tal forma. O soldado Hartvig, que está no local guardando o corpo até a chegada perícia, disse que não chegou a ver o corpo, que está coberto, mas foi informado pelos Bombeiros, de que ele não tinha sinais de violência. Já o cabo Prudente, dos Bombeiros Militares confirmou a informação e disse que, quando a equipe chegou ao local, Dinho já não tinha os sinais vitais, por isso, os Bombeiros acionaram a Polícia para fazer a ocorrência.

Ainda de acordo com os amigos do rapaz encontrado morto, a causa mais provável da morte seja o excesso de álcool. “Ele já estava ruim de madrugada, quando foi deitar, e provavelmente teve um acesso”, opina uma moradora de rua. Com informações obtidas pelos sites ocontestado.com e vozdabarra.com.br.

COMPARTILHAR