Vereadores reivindicam ao Governo do Estado retorno de cirurgias eletivas

Mais uma vez o chamado G-7, grupo integrado por sete dos 13 parlamentares de Barra de São Francisco, estiveram protocolando pedidos para o setor de saúde no município, junto ao Governo do Estado e a Secretaria de Estado da Saúde.

Os vereadores Wilson Mulinha, Juvenal Calixto, Paulinho do Hospital, Huander Boff, Emerson Lima, Admilson Brum e Zirene Surdini Valli,  informaram as autoridades estaduais, que o Hospital Dr. Alceu Melgaço Filho e que pertence ao Governo do Estado, possui leitos para atendimento de médica complexidade, possuindo pronto socorro, configurado como parte de entrada de urgência e emergência no SUS, além de contar com um centro cirúrgico e obstétrico, mais centro de diagnóstico, internação hospitalar e os serviços de apoio.

De acordo com os parlamentares do G-7, no pronto socorro, com atendimento 24 horas, são realizados os atendimentos de urgência e emergência, através do acolhimento da demanda espontânea, sendo porta do Serviço Único da Saúde. Além disso, a unidade hospitalar local, conta com leitos de UTI e Centro Cirúrgico e Obstétrico com funcionamento 24 horas em todos os dias da semana, inclusive finais de semana e feriados (cirurgia obstétrica) contando com a presença dos médicos especialistas (pediatria e obstetrícia), mais o anestesista.

Diante do exposto, os parlamentares propuseram ampliar o número de cirurgias oferecidas para a população, incluindo histerectomia total, laqueadura, retirada de hérnia, retirada de cisto uterino, cauterização pós aborto, cauterização pós hemorrágica, períneo por necessidade, queimagem de DST, vasectomia programada, retirada de útero com início de câncer, dentre outros procedimentos.

Para os sete vereadores, o hospital local tem capacidade de realizar todas estes procedimentos cirúrgicos devido sua boa estrutura parcialmente aproveitada, causando transtornos para a população que é obrigada a se deslocar até outros centros para realizar estas cirurgias, quando em muitos casos, levam meses para serem concretizadas.

Os pedidos foram protocolados junto ao Governo do Estado e a Secretaria de Estado da Saúde – Sesa.

 

ASCOMCMBSF

Data de Publicação: quarta-feira, 20 de março de 2019

COMPARTILHAR