Moradores reclamam de matagal em lotes no perímetro urbano e pedem solução para Prefeitura

 

 

 

Vereadores criticaram também o abandono por parte da Prefeitura Municipal com relação a falta de fiscalização e punição aos donos de lotes abandonados no perímetro urbano, bem como das estradas vicinais no interior

Barra de São Francisco – Os moradores da rua Deputado Coelho Rodrigues, nas proximidades do número 383, no Bairro Vila Gonçalves, estão solicitando que a Prefeitura Municipal de Barra de São Francisco, tome uma providência imediata, no sentido de limpar ou penalizar o proprietário de um lote, que está totalmente tomado por um verdadeiro matagal. O imóvel fica logo depois do Colégio João Bastos.

Segundo os moradores naquelas proximidades, o local está tão sujo e tomado pelo mato, que se tornou o abrigo de animais de toda espécie, notadamente insetos diversos, além de ratos e alguns peçonhentos. “Como se não bastasse tanta irresponsabilidade para com os vizinhos, o dono da área não aparece por lá algum tempo e a Prefeitura Municipal, que deveria penalizar o proprietário e exigir que este efetue a limpeza, ao que parece não está nem ai para o problema”, desabafou um morador vizinho ao imóvel.

Um outro morador criticou a morosidade de uma ação que venha a resolver o problema. “É uma brincadeira o que esta administração vem fazendo com o cidadão francisquense. É um descaso total e uma incompetência injustificável”, lamentou outro morador aborrecido por ter pago sua cota do IPTU, mantendo o imposto em dia, para ser beneficiado pela limpeza de ruas, coleta de lixo e outras ações.

Os moradores afirmam que tentaram falar com o secretário Jair Fernandes Filho, titular da Secretaria Municipal de Serviços, mas que nada foi resolvido. A Secretaria em questão atende de 8:00h às 11:00h  /13:00h às 16:00hs, mas os reclamantes alegam ser impossível sensibilizar o órgão e seus responsáveis.

Vereadores querem solução

O caso foi parar na Câmara Municipal na primeira sessão ordinária da atual legislatura. Na tribuna, os vereadores Wilson Mulinha, Zirene Valli e Juvenal Calixto, criticaram e solicitaram serviços, destacando a falta de objetividade por parte de alguns funcionários e secretários municipais. O vereador Mulinha lamentou que o atual secretário de Serviços, não o leve a sério, no sentido de que há algum tempo vem solicitando a poda de uma árvore nas imediações de onde reside. Nesse sentido, Mulinha acusou que o secretário responsável Jair Fernandes, mandou executar o serviço em uma outra árvore próxima a que ele deseja ver podada, mas não quis executar o mesmo serviço, na que precisa, não atendendo seu pedido.

A vereadora Zirene Valli fez uma indicação ao prefeito Alencar Marim para que mande o setor competente efetuar a limpeza em um terreno vazio localizado na rua Aristides Cravo, no bairro Ipiranga, proximidades da Igreja Ebenezer. Segundo a vereadora Zirene, o mato existente na área, tem acarretado problemas aos moradores, principalmente com o surgimento de animais peçonhentos, como cobras e escorpiões. “Os moradores ali próximos, estão sendo prejudicados em virtude destes animais invadirem suas residências, o que acarreta risco principalmente para as crianças”, lamentou a parlamentar que ainda pontuou: ” isso sem falar na proliferação de mosquitos o que pode acarretar em surgimento de focos do transmissor da dengue”, completou.

Já o presidente da Câmara Municipal, vereador Juvenal Calixto, usou a tribuna para lamentar que o homem do campo, esteja sendo relegado ao esquecimento por parte da atual administração municipal. “O senhor prefeito Alencar Marim precisa tomar uma atitude imediata com relação ao abandono dos trabalhadores e moradores do meio rural. Não existe mais estrada em qualquer ponto do município. Não é possível que não tenhamos ainda sendo executado este tipo de serviço. Não dá pra entender, o tempo passa e nada muda. Já não se pode mais fazer “carreador” e agora nem estrada para escoar a produção agrícola, fica difícil manter o homem no campo e estimulá-lo a produzir”, criticou o presidente Juvenal.

Fotos*Sirlei Farias Soró Soares/ASCOMCMBSF
COMPARTILHAR