Centenas de amigos e parentes se despediram do ex-vereador Vitão

Matriz de São Francisco ficou lotada de amigos de Vitão, que foram se despedir dele e depois acompanharam o féretro até o cemitério de Barra de São Francisco

A matriarca da família Vargas Fortes, dona Eri, com sua aparência frágil, tendo que ser conduzida em uma cadeira de rodas, porque o corpo já não responde bem aos comandos do cérebro, mostrou a força de mãe diante da perda do seu filho Victor Hugo Vargas, o Vitão, nestaquarta e quinta-feira. Falecido da na manhã de ontem, 9, depois de cinco dias internado em São Mateus, com uma infecção, ele foi internado na manhã desta quinta-feira, 10, no cemitério de Barra de São Francisco, ao lado do pai, Hugo Vargas Fortes e outros familiares.

Amigos e familiares dão ultimo adeus ao corpo do ex-vereador

Dona Eri, que chegou na quarta-feira, de helicóptero, disse que a viagem foi tranquila, mas que sentiu insegura dentro do aparelho. Hoje pela manhã chegou logo cedo à Matriz de São Francisco de Assis, onde foi celebrada a missa de corpo presente, pelo padre Maikon Montovanelli. Com expressão de cansaço e olhos avermelhados, ela aproximou-se do caixão e, junto com os parentes, acariciou o rosto do filho pela última vez, antes que ele seguisse para o cemitério. “O Marcão era o que o que mais parecia com o pai, mas o Vitão tinha o jeito do Hugo para cuidar dos filhos e da família”, observou ela, já no cemitério, rodeada por amigos. Eri lembrou ainda que se tornou cidadã francisquense em 2000, mas que todos os seus filhos nasceram aqui.

Além de dona Eri, quase todos os familiares de Vitão, principalmente as irmãs, a esposa, Rosane, os filhos Júnior e Viviane, além de muitos outros parentes, estiveram no enterro.

A irmã dele, desembargadora Janete Vargas, agradeceu a todos pela presença e elogiou a população francisquense, ela disse sempre ser muito hospitaleira e também pelo carinho de todos com o irmão falecido.

Ainda na igreja, Viviane fez uma homenagem ao pai, em um discurso de oito minutos, onde lembrou todo o carisma que Vitão tinha e o quanto era querido pelo povo francisquense. “Em nossa casa, todo mundo era bem vindo, sem distinção de classe”, observa ela, lembrando que a frase que marcou a vida do pai era a seguinte: Eu já disse que te amo, hoje?”.

O radialista José Carlos Madureira também usou o microfone na igreja para elogiar o amigo e ler um breve currículo dele. “Vitão trabalhou no escritório do Contabilidade Modelo, Convap, Cartório Vargas Fortes e foi, até no ano passado, funcionários do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES). Estudou na Escola João XXII e formou-se em Direito na Fadic, em Colatina. Foi idealizador e diretor da Guarda Mirim, enquanto a mesma existiu. Na política, foi eleito o vereador mais votado em seu mandato e presidiu a Câmara de Vereadores entre 99 e 2000. Na vida social era muito requisitado e suas mãos sempre se estenderam para socorrer e poucas vezes para ser socorrido”, descreve Madureira em parte do seu discurso.

Luto – Ontem, 9, antes mesmo do velório, o atual presidente da Câmara de Vereadores de Barra de São Francisco, Juvenal Calixto Filho, decretou três dias de luto pela morte do ex-vereador, que foi velado no plenário Hugo Vargas Fortes, nome do pai dele. (Weber Andrade)

COMPARTILHAR