Assaltante baleado na perna pela polícia após tentativa de latrocínio em São Mateus-ES

Por Claudio Caterinque

Após assaltar duas pessoas no Bairro Boa Vista, um criminoso foi perseguido e preso em flagrante pela Polícia Militar. De acordo com o boletim de ocorrência lavrado pela PM, um soldado que retornava ao Batalhão de São Mateus foi chamado a atenção por uma vítima que estava correndo na direção dele e gritando que acabara de ser assaltado. O militar iniciou então o acompanhamento e alcançou o criminoso próximo à antiga Padaria Pão de Mel.

Segundo o BO, ao avistar a PM, o criminoso apontou a arma na direção do militar e acionou o gatilho, no entanto, a arma falhou. O militar revidou e atirou seis vezes na direção do criminoso, acertando dois tiros na perna esquerda do acusado, abaixo do joelho. Ainda de acordo com o relatório policial, o criminoso, de 20 anos, foi encaminhado para socorro médico ao Hospital Roberto Silvares onde permaneceu sob escolta policial e, após liberado, deve ser encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de São Mateus, devendo retornar posteriormente ao hospital para cirurgia

Para a polícia, uma vítima disse que o criminoso anunciou o assalto, exigiu que entregasse o telefone celular, o que foi, de imediato, negado, porque não tinha visto o acusado armado. A vítima detalha ainda que o assaltante sacou a arma, um revólver calibre 32 e puxou o gatilho, porém não houve disparo. A PM registra que a arma foi apreendida, com duas munições, sendo uma picota, e que o acusado, mesmo depois de alvejado, ainda tentou fugir, quando caiu no canteiro central.

Ainda de acordo com o BO, a polícia encontrou também com o acusado um telefone celular Samsung Duos preto com capa roxa que o criminoso confessou ter roubado minutos antes em um assalto no Centro. Os militares afirmaram que deixaram o aparelho ligado e que uma conhecida da vítima ligou quando eles estavam no plantão da 18ª Delegacia Regional de São Mateus e foi orientada a informar ao proprietário do telefone do ocorrido e a comparecer à Polícia Civil para registro do fato.

COMPARTILHAR