14 ANOS DO CINECLUBE ECO SOCIAL ÁGUIA BRANCA-ES

CAPA FOTO 1

Uma trajetória de resistência, luta e persistência para levar o cinema até as comunidades, a pequenas e médias cidades do noroeste capixaba.

E assim, movimentar o cenário cultural e social nas localidades.

 

 

O cineclubismo vem a ser um dos segmentos mais permanentes do cinema, com manifestações precoces no Brasil, desde os idos de 1928, com o “Chappelin Club”, na cidade do Rio de Janeiro-RJ. No mundo, entre registros, um dos possíveis primeiros cineclubes que surgiu, foi na França em 1913, chamado de Cineclube Cinema do Povo.

Desde os seus primórdios, os cineclubes, sempre foram um rico espaço de cidadania e democratização do acesso ao cinema, atuando em defesa do público, do acesso ao cinema enquanto direito de acesso à cultura e contra os monopólios de mercado, que em quase a totalidade, excluem os filmes nacionais do circuito de exibição e concentram-se em um único modelo, de se ver o cinema, e de se sentir ao cinema, tratando ao público, apenas como expectador e consumidor passivo.

Mais do que o acesso, os cineclubes sempre foram a oportunidade de circulação cultural alternativa, um rico encontro do cinema nacional e regional, com o público e suas identidades, enriquecendo um diálogo deste com a obra e o autor. Debruçando-se sobre o filme e as suas abordagens, promovendo ricos debates após o filme, formando o senso crítico, e estimulando a um olhar diverso diante da riqueza que há no mundo imaginário do cinema.

Maratona imag

Estima-se que no Brasil haja na atualidade, cerca de quase 2.000 cineclubes, ou até mais. Funcionando em diversos espaços e com diferentes e plurais abordagens temáticas. Que vão desde o meio ambiente, a educação, temas sociais, até ao cineclube que exibi os filmes nas ruas, calçadas, em um beco, em vielas, em espaços comunitários, e em regiões na zona rural, aonde dificilmente, chegaria um teatro, um cinema, ou algum espaço sócio cultural. O caldo para tudo isso, é o filme, seja na tela, na toalha ou no lençol, a riqueza está em incentivar que as pessoas se encontrem, se relacionem, por meio do cinema.

De certo, os cineclubes sempre foram um rico espaço para troca de ideias, compartilhamento de vivências, e quando se propõe a reunir pessoas e promover momentos de diálogo, o filme torna-se uma ferramenta de empoderamento, e do cineclube, surge um caldo para diversas ações e transformações na sociedade.

Os cineclubes têm uma história própria, que liga a evolução do seu trabalho às diferentes situações nacionais, culturais e políticas em que se desenvolveram. Há vários tipos de cineclubes, alguns predominam em determinados países, em certas conjunturas. Em situações diferentes suas formas de organização e atuação também variam.

Cine Fusca Flyer

Três características, quando juntas, são exclusivas dos cineclubes, os distinguem de qualquer outra atividade com cinema e, ao mesmo tempo, abrangem uma ampla gama de formas e ações que os cineclubes desenvolveram nos mais diferentes contextos: o cineclube não tem fins lucrativos; o cineclube tem uma estrutura democrática; o cineclube tem um compromisso cultural ou ético.

No universo da organização dos cineclubes, há no plano internacional a Federação Internacional de Cineclubes, que congrega 75 países membros, e é presidida pelo capixaba, Dr. Antônio Claudino de Jesus, natural de Barra de São Francisco, aonde o seu pai, foi o primeiro farmacêutico e um dos primeiros moradores a chegar a sentinela capixaba.

No Brasil, a entidade representativa do cineclubismo é o Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros. E no Estado do Espírito Santo, também há organizações representativas, que se propõem a organizar e fortalecer a difusão do cineclubismo e a democratização do acesso ao cinema.

E no Estado, existe a Organização dos Cineclubes Capixabas fundada no ano de 2010, com a proposta de organizar, apoiar e estimular a difusão do cineclubismo no Estado do Espírito Santo.

O Cineclube Eco Social participou no ano de 2004 da retomada do movimento cineclubista brasileiro durante 25ª Jornada Nacional de Cineclubes, em São Paulo. Naquele ano, era somente o Eco Social em todo noroeste capixaba. Logo, o cineclube passou a estimular e contribuir para o surgimento de outros cineclubes na região, ao longo destes anos 14 anos de atividades. Surgindo, o Cineclube Imagem em Movimento em Barra de São Francisco, o Pavãozinho em Vila Pavão, o Bonfim em Nova Venécia, o Olegário Martins em Água Doce do Norte, o Cineclube Porto em São Mateus, o Alto Cine em Alto Rio Novo que foi estimulado pelo cineclube de Barra de São Francisco, e por meio do Circuito de Formação Cineclubista do Eco Social, surge o Cineclube Sr. Manoelzinho em Mantenópolis.

Grande parte destes cineclubes, cumprem importante papel de acesso ao cinema, seja enquanto atividade de lazer, seja como ferramenta de formação através do audiovisual. Nem sempre as sessões são periódicas, ou conseguem se realizar com a sequência desejada, em quase todos os casos, pela falta de apoio do Poder Público, e a falta de entendimento da importância do acesso a cultura e de como a atividade pode ser transformadora no desenvolvimento da sociedade.

Nas palavras do capixaba Antônio Claudino de Jesus no filme diálogos “Se é movimento, há que se movimentar. E se movimenta, há que transformar. E se transforma há que construir uma sociedade melhor”.

No Estado do Espírito Santo, estima-se hoje, cerca de quase 100 cineclubes, funcionando desde em espaços educacionais, comunitários e culturais, com os mais diversos tema.

Segundo Luciano Guimarães, coordenador do Eco Social desde o ano de 2006:

Desenvolver as atividades não é uma tarefa fácil, e requer persistência, resistir a falta de apoio das Prefeituras, dedicar-se voluntariamente, e insistir mesmo…

O Cineclube Eco Social, desde o início, trouxe grande divulgação da região, atuou em diversos espaços, desde atividades no Parque Ecológico Recanto do Jacaré, em escolas, área rurais, e representando o município pelo cineclube em eventos nacionais e estaduais. Segundo o cineclubista Luciano, houve e ainda há períodos que por falta de apoio, precisamos paralisar as atividades por um período. Mas ainda assim, nunca deixamos de produzir alguma atividade. Em 2015, produzimos o nosso primeiro filme de gênero documental, pelo Revelando os Brasis V, em Águia Branca, e lançamos em rede nacional no Canal Futura. Este ano, estamos ampliando as ações para outras regiões, com o Projeto Olhares que vai atender aos municípios de Vitória, Afonso Cláudio e Itaguaçu, começamos este projeto e Águia Branca, e hoje, suas ações estão ampliando. Temos que seguir, e também valorizar os espaços que apoiam, compreendem e valorizam as atividades.

Em nossa região, há uma carência de política cultural definida, embora tenha grande destaque de músicos, artesões, escritores, grupos folclóricos e populares. Se você, for observar aos municípios que investem em cultura, vai constatar que o desenvolvimento econômico e da educação são muito maiores e qualitativos, e os índices sociais de desenvolvimento da violência, são muito menores.

Neste mês de novembro, em que o Cineclube Eco Social, completa 14 anos de atividades, e em parceria com a Organização dos Cineclubes Capixabas, o Cineclube Sr. Manoelzinho, a Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Mantenópolis, o Deed’s Hotel e a Viação Pretti, será realizado pela primeira vez no noroeste capixaba, o VI Encontro Estadual de Cineclubes, que além de realizar uma Mostra de Cinema na Praça de Mantenópolis, irá reunir cerca de 50 cineclubes, para debates, vivências coletivas, e propor ações na organização do movimento estadual. O evento contará além do parceiros e cineclubes, com a presença da Federação Internacional de CineclubesSecretaria de Estado da Cultura, o Conselho Nacional de Cineclubese o Centro Cineclubista de São Paulo e da
Viação Pretti.

Maiores informações sobre o evento:

Grupo no Facebbok:

https://www.facebook.com/groups/129025717287456/

Site Oficial da Organização dos Cineclubes Capixabas

https://occapixabas.wordpress.com/

Site da Federação Internacional de Cineclubes

http://www.ficc.info/

Blogs Pesquisa sobre o cineclubismo:

http://felipemacedocineclubes.blogspot.com/

http://diogo-dossantos.blogspot.com/

09 de novembro de 2018.

COMPARTILHAR