JOVEM QUE ESFAQUEOU COLEGA REVELOU INTENÇÃO DE MATAR OUTRAS DUAS

De acordo com o relato do boletim de ocorrência, o acusado revelou a intenção enquanto era levado por policiais militares à Central de Flagrantes da Polícia Civil

Apreendido por esfaquear uma vizinha de 14 anos no prédio em que morava, um adolescente de 13 anos contou à polícia que tinha o plano de matar outras duas jovens. De acordo com o relato do boletim de ocorrência, o acusado revelou a intenção enquanto era levado por policiais militares à Central de Flagrantes da Polícia Civil de Goiás. Ele confessou o assassinato de Tamires Paula de Almeida, com quem estudava na mesma sala em uma escola de Goiânia.

“Foi um ato cruel. Ele já estava planejando. Ele queria matar por si só. No dia do aniversário, comprou uma faca. Escolheu como alvo meninas da sua sala por serem mais vulneráveis. E começou pela Tamires, pela infeliz coincidência de morar no mesmo prédio”, relatou o delegado Luiz Gonzaga Júnior, titular da Delegacia de Atos Infracionais, responsável pelo caso.

O adolescente encontrou Tamires no elevador e decidiu esfaqueá-la. No boletim de ocorrência, não havia informações sobre a motivação. Ele confessou o esfaqueamento ao chegar à diretoria e foi apreendido na unidade de ensino pela Polícia Militar.

“Foi de forma premeditada. Ele esperou ela sair do elevador e, na escada, tentou matá-la jogando a cabeça dela contra a parede. Ao ver que ainda estava viva, deu vários golpes de faca. A crueldade foi tanta que a faca entortou com a raiva que ele empreendeu”, explicou o delegado.

O jovem destacou que desferiu facadas na colega de turma e a deixou caída nas escadas do quinto andar do prédio, no bairro Jardim América. A vítima foi atingida por cerca de dez facadas, espalhadas pelo corpo, e não resistiu aos ferimentos. Gonzaga investiga a motivação do ato e por que o adolescente relatou o caso à diretoria da escola.

“Ele resolveu contar antes de executar as outras duas. Ou se arrependeu ou quis chamar atenção. Este ato tem contornos do que seria um caso de feminicídio, que é homicídio qualificado. Agia com menosprezo contra elas”, frisou Gonzaga.

O responsável pela morte de Tamires está apreendido na delegacia e será apresentado ao Juizado da Infância e da Juventude nesta quinta-feira. Ele vai passar por oitiva informal do Ministério Público, que depois deve representar pela internação do garoto, na visão do delegado.

Os policiais militares levaram o acusado de volta ao prédio e encontraram a vítima já sem sinais vitais. Enquanto se dirigiam ao local, o adolescente contou que, além de Tamires, tinha vontade de matar outras duas meninas de sua sala. Uma delas, por “gostar dele”; a outra, pelo desejo de ver “a sala de aula de luto por ela”.

COMPARTILHAR