AGORA COM O GOVERNADOR PAULO HARTUNG É OU VAI OU RACHA.

O governador Paulo Hartung (PMDB), desde a grave crise da segurança pública, resolveu “chutar o pau da barraca” e já não disfarça mais suas ingerências nos diversos campos políticos do Estado. Primeiro veio a ameaça aos PMs e seus familiares, com a frase “não vai sobrar pedra sobre pedra”. De fato, tem cumprido à risca. Depois, no processo de eleição da Associação dos Municípios do Estado (Amunes), escancarou dizendo que tinha sua “digitalzona” nas articulações. Houve, sim, manobra palaciana e Gilson Daniel (PV) retirou a candidatura com críticas às interferências para fazer do prefeito de Linhares, Guerino Zanon (PMDB), o novo comandante do posto, como quer Hartung. Ao mesmo tempo, foi parar no mercado político a história do PDT na Assembleia Legislativa. Bastou a liderança da bancada passar para as mãos do deputado Da Vitória, com Euclério Sampaio na vice – opositores da atual gestão -, que o governador entrou no circuito parar barrá-los. A pressão ao presidente regional do partido, deputado federal Sérgio Vidigal, era para entregar a função a Rodrigo Coelho, que faz tudo que Hartung manda. A polêmica ainda não está fechada, mas já apareceu o carimbo do governador. Somente pelos três casos recentes, dá para perceber que Hartung não está fazendo a mínima questão mais de ser pelo menos sutil na defesa de seus interesses. Se não vai por bem, vai por mal mesmo. E ai de quem se colocar no meio do caminho.
Sei…
Vidigal, aliás, negou qualquer interferência no partido nesta segunda-feira (26). Admitir é que não iria, né?
Fora de alcance
Por falar em Amunes, o prefeito de Vitória, Luciano Rezende (PPS), saiu ileso das movimentações da disputa pelo comando da entidade. O único entre os gestores da Grande Vitória. Fugiu da enrascada e do confronto com Hartung.
Segue…
O mesmo não se pode dizer de Gilson Daniel e de Audifax Barcelos (Rede), seu apoiador. Max Filho (PSDB), de Vila Velha, evitou envolvimento, mas acabou ao lado de Gilson e Audifax no encontro com o presidente Michel Temer. Já Juninho (PPS) está “sussa”, do lado de Guerino.
Desarmonia
A coletiva realizada por Hartung com os secretários André Garcia (Segurança) e Regis Mattos (Economia e Planejamento) para anunciar investimentos em segurança na manhã desta segunda atravessou o “manual de etiqueta política”. O governador foi despojado, com aquela camisa-uniforme que ele não tira mais, e os secretários formais, de terno e gravata. O aúdio da transmissão também pode melhorar.
Sola de sapato
O senador Magno Malta (PR) circulou pela feira de Laranjeiras, na Serra, nesse sábado (25). Resumo: pastel, apertos de mãos e abraços em eleitores. Uma prévia para o grande evento organizado por ele na noite nesta segunda-feira (27). Já chegou 2018.
Sola de sapato II
Trata-se da Caravana da Vida que, além de shows de Magno e da mulher Lauriete, traz para Cariacica outros cantores gospel como Nani Azevedo e Fernanda Brum, e ainda Luiz Carlos (Raça Negra) e Rick (da dupla Rick e Renner). Às 19 horas, em Nova Rosa da Penha. Investimento pesado de Magno, que divide o protagonismo com o senador Ricardo Ferraço (PSDB), palestrante da festa.
Presenças
O prefeito de Vila Velha, Max Filho (PSDB), participou ao lado do deputado estadual Hércules Silveira (PMDB) do ato “Abrace o Rio Jucu”, realizado nesse domingo (26), na Barra do Jucu. O ex-deputado Cláudio Vereza (PT), morador de lá, também.
Direitos
Movimentos sociais realizam manifestação nesta terça-feira (28), em Vitória, contra as reformas de Temer (Previdência e Trabalhista) e a política de austeridade fiscal de Paulo Hartung e pela auditoria da Dívida Pública com participação cidadão. Concentração no Teatro da Ufes, em Goiabeiras, às 17 horas, com destino à Federação das Indústrias do Estado (Findes). Ato marca o Dia Nacional de Lutas.
Nas redes
‘Vai ter Chorinho sim !!!! Já dizia o poeta, que a voz do povo é a voz de Deus. O povo pediu, a população de Jardim Camburi apoiou em massa e vai ter Chorinho na Praça sim. Muito obrigado a todos que assinaram a petição online, que já tem quase 600 assinaturas”. (Evandro Figueiredo – Movimento Jardim Camburi Merece Mais – n
COMPARTILHAR