Escassez: Fornecimento está sendo feito “dia sim e dia não” em Vila Pavão

O fornecimento de água potável para a população da sede de Vila Pavão, sofre mais um  racionamento. Até a última quarta-feira, 11, o fornecimento era feito das 7 h às 12 h para os moradores da parte baixa da cidade e das 7 h às 15 h para os moradores da parte alta. Com a nova medida adotada pela Cesan, o fornecimento para a ser, dia sim e dia não para toda a sede do município.

Segundo a Defesa Civil , a situação é gravíssima e se não chover nos próximos dias, tanto as atividades na área urbana, como no meio rural poderão sofre um colapso.

No principal ponto de captação do município, localizado no Córrego Socorro,  quase não existe água. De acordo com  funcionários da estação de tratamento da Cesan, o que está sustentando o sistema são dois poços artesianos, reativados pela Cesan no início da crise hídrica. Se a situação persistir o fornecimento poderá sofrer interrupções mais prolongadas.

A restrição no fornecimento  é por tempo indeterminado e vai afetar ainda mais, residências, escolas, comércios, mineradoras e prédios públicos.

Os mais prejudicados com o racionamento são moradores dos bairros Ondina,  Nova Munique e Morro do Campo,  situados na parte alta da cidade que chegam a ficar dias sem água, porque,  a escassez levou os moradores das partes baixas da cidade, onde a água chega com mais facilidade, a estocar o produto.

Os  distritos de Praça Rica e Todos os Santos e no patrimônio de Conceição do XV (Cascudo), a situação também é bastante crítica. Nessas localidades, o fornecimento é reforçado através de caminhão pipa da Prefeitura Municipal.

Na semana passada o perfeito Eraldino Jann Tesch, editou  Decreto impondo  multa para quem desperdiçar água em Vila Pavão. O decreto proíbe a utilização de água na lavagem de veículos, calçadas, frentes de imóveis e outras situações que não sejam para o consumo humano.

Fonte: Vila Notícia

COMPARTILHAR