Homem de 51 anos descobre que casou com sua filha em Mantenópolis ES

fonte/Vila Notícias

 

Em Mantenópolis, município do noroeste do estado do Espírito Santo, um fato descoberto esta semana chama a atenção da justiça, da igreja e do público leigo. Um homem de 51 anos descobriu por meio de exame de DNA que está casado a 9 meses com a própria filha de 23 anos. O casal que ainda não possui filhos está desesperado com a descoberta e busca meios legais para continuar casado.

Arnaldo, nome fictício do pai, descobriu que sua esposa poderia ser sua filha por meio de mensagens recebidas em uma rede social. A autora da mensagem se dizia prima de segundo grau de Fabíola, nome fictício de sua cônjuge. Fabíola ficou órfã aos 9 anos de idade quando sua mãe e sua vó faleceram em um atropelamento. Desta idade até os 17 anos morou com na casa desta prima criada como irmãs. Até que uma briga familiar a fez fugir de casa e ir morar na casa de um namorado em Vitória/ES.

Dos 17 aos 19 Fabíola morou com este namorado. Passou a trabalhar em uma loja conceituada de um grande shopping capixaba e ao conquistar a independência financeira conquistou também a independência emocional. Terminou este namoro e passou a morar sozinha e dedicar-se ao curso de Administração. No curso conheceu um professor que passara a ser seu namorado.

O que ela não poderia imaginar é que a história que a finada mãe contava que o pai morreu antes de a conhecer era uma mentira para mascarar o fato dela ter sido amante de um homem casado. Homem este que na verdade é o seu atual marido. O fato foi descoberto após um exame de DNA sugerido por esta prima que suspeitava das semelhanças de Arnaldo com o homem que era relatado pela mãe de Fabíola como sendo o “namorado secreto”.

Embora o fato seja tratado como segredo de justiça, o fato corre solto entre os moradores do município. Líderes religiosos locais estão acionando a Justiça para que o Ministério Público solicite a anulação imediata do casamento. O casal pretende lutar pela preservação da união matrimonial e adverte aos religiosos: “Cuidem de suas almas e seus dízimos. Nós cuidamos, e muito bem, de nosso amor”.

COMPARTILHAR