Greve em 26 Agências do INSS no estado já dura mais de 50 dias. Unidades de Barra de São Francisco e Ecoporanga estão entre as que aderiram paralisação

A greve dos servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Espírito Santo, que já dura mais de 50 dias, continua nesta sexta-feira (4). Em todo o estado, 26 agências aderiram à paralisação.inss

 

O Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Trabalho e Previdência Social no Espírito Santo (Sindprev-ES) realizou uma assembleia nesta tarde. Os médicos peritos também aderiram ao movimento.

A paralisação teve início no dia 15 de julho, quando os trabalhadores do Espírito Santo se uniram ao movimento nacional da categoria. Os funcionários reivindicam reajuste salarial de 27,3%, a incorporação das gratificações, 30 horas de trabalho semanal para todos os funcionários, realização de concurso público, melhoria das condições de trabalho, paridade entre ativos e aposentados e melhorias no serviço público.

O movimento de greve será reavaliado nesta sexta-feira, às 14h, na agência da Avenida Beira-Mar, em Vitória. Os médicos peritos também aderiram ao movimento. Por enquanto, a paralisação segue por tempo indeterminado.

Sobre as negociações com o governo, o movimento grevista informou que elas não avançaram. “A Plenária Nacional, realizada ontem em Brasília, com delegados representantes de sindicatos de todo o Brasil, reafirmou, por unanimidade, a continuidade da greve”, disse o sindicato.

Segundo o diretor do sindicato, Willian Aguiar, a categoria vai apreciar a proposta enviada pelo governo. “Provavelmente tem a possibilidade de acabar. Nós temos até o dia 11 de setembro pra terminar as negociações. A greve está muito desgastante. Pode ser que semana que vem tudo volte a funcionar novamente”, afirmou.

Atendimento
Luiz Alberto Feijó trabalha na agência de Vitória e aderiu à greve. Ele explicou que os atendimentos na unidade, que acontecem com agendamento, estão sendo realizados.

Entre os técnicos e analistas previdenciários, a adesão é de cerca de 70% no estado, comprometendo os serviços de concessão de aposentadoria, licença por doença e reabilitações

Vírginia Pereira Rodrigues mora em Vitória e foi até a agência da capital para a retirada de um documento. Ela contou que não teve problemas com o atendimento. “O atendimento foi muito rápido. Eu vim só vim buscar uma guia. Como está em greve, o movimento de pessoas está menor e mais rápido”, disse.

Já o morador de Santa Maria de Jetibá, Wenderson Gumes, saiu do município onde reside à caminho da agência em Vitória e não conseguiu atendimento. “Eles não me atenderam e simplesmente disseram que iam me ligar outro dia, por causa da greve. Vim de Santa Maria até aqui à toa”, afirmou o jovem.

Agências
Das 32 agências do estado, 26 aderiram à greve. São elas: Vitória (avenida Beira-mar),    Pedro Fonseca (anexa à agência Vitória, também na avenida Beira-mar), APS Demandas Judiciais (Vitória), Cariacica, Vila Velha, Serra, Viana, Guarapari, Linhares, Colatina, São Mateus, Jaguaré, Montanha, Afonso Cláudio, Nova Venécia, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Ecoporanga, Pinheiros, Pedro Canário, São Gabriel da Palha, Cachoeiro de Itapemirim, Santa Teresa, Castelo, Domingos Martins e Mimoso do Sul.

 

G1-ES

COMPARTILHAR